África Monitor

Acesso Livre - Cultura

Leston Bandeira

Angola ganha compêndio de mais de 1.700 autores, desde século XVII

Angola ganha compêndio de mais de 1.700 autores, desde século XVII


Um levantamento de 1.770 autores naturais de Angola ou naturalizados angolanos, de 1642 a 2015: é este o resultado de anos de trabalho de investigação de Tomás Lima Coelho, em fase de lançamento. Encontrar uma editora para a publicação, relatou o autor ao Africa Monitor, não foi fácil.

“Autores e Escritores de Angola, 1642-2015” será lançado a 22 de setembro, em simultâneo em Luanda e em Lisboa. O professor catedrático Adelino Torres, ligado desde os anos 1950 à actividade cultural africana, nomeadamente à de Angola prefacia a obra, que contém informação biográfica e bibliográfica sobre cada autor e a respectiva região de Angola donde é oriundo.

“Este livro é já de consulta indispensável na área da cultura e da literatura nacional. Alguns dos nomes poderão deixar apenas um rasto efémero na memória, mas a sua presença ajudará todavia a fixar fronteiras e etapas que contribuirão para a construção de uma mundividência”, afirma Torres.

A longo prazo, adianta, a obra irá ajudar a “alicerçar e reforçar aquilo que se pode chamar a cultura angolana, diversificada e plural, cada vez mais rica no futuro”.

O interesse que o livro está a despertar em Angola surpreende até o seu autor. Tomás Coelho afirmou ao Africa Monitor que este “foi um trabalho solitário de muitos anos”. Durante muito tempo, “achei que tinha de jogar todo esse trabalho na gaveta, porque nenhum editor estava interessado nele”.

A editora “Perfil Criativo”, de Ricardo Rodrigues, entretanto, entendeu que o livro correspondia a uma necessidade que os intelectuais angolanos e não só sentiam e “acolheu a obra com grande entusiasmo”, adiantou Tomás Coelho.