África Monitor

Acesso Livre - Cultura

Memórias de Nova Lisboa, História de Angola

Na passada quinta-feira, as salas da Sociedade Histórica estavam cheias. Muitos dos presentes eram naturais de Huambo que trocavam histórias e recordações diante das fotografias da exposição que abriu nesse dia. O livro "Crónica da Fundação: Huambo/ Nova Lisboa", de Xavier de Figueiredo, trouxe uma multidão à Sociedade Histórica da Independência de Portugal, em Lisboa.


À hora do lançamento, a pequena sala de actos onde este tinha sido marcado estava de tal forma lotada que a apresentação do livro foi passada para o salão nobre do edifício, um andar acima, para poder acomodar a afluência inesperadamente grande.

Marcolino Moco, primeiro secretário-executivo da CPLP, apresentou a obra dizendo que se trata de "um livro tão envolvido nas fontes primárias que não deixa espaço para especulações de outra natureza nem para saudosismos." Para o diplomata, o livro enquadra-se numa necessidade crescente dos países africanos modernos "começarem a conhecer a sua própria história." Mesmo enquanto se direccionam para o futuro, sublinhou, é importante que não percam de vista o seu passado.

O lançamento do livro, que pretende dar a conhecer a história da fundação da cidade de Huambo, em Angola, no contexto da sua importância e significado para o império colonial, foi feito em conjunto com a abertura de uma exposição de fotografia igualmente dedicada à cidade.

O autor, Xavier de Figueiredo, numa intervenção curta pois, como destacou, pretende que o livro fale por si, explicou que escrever a obra não estava nos seus planos, mas que esta surgiu quase naturalmente de uma série de investigações que acabaram por revelar "factos inéditos que, até agora, estavam dispersos." A intenção do escritor é de que o livro venha responder a um crescente interesse pela história dos países africanos.

Na exposição, na Sala Fernando Pessoa da Sociedade Histórica, podem ser vistas fotografias de Huambo relacionadas com a sua fundação e a sua história sob administração colonial. Esta poderá ainda ser visitada até ao dia 12 de Fevereiro, das 10h às 13h e das 14h30 às 19 horas.

A primeira edição da obra "Crónica da Fundação: Huambo/ Nova Lisboa" quase esgotou nesta sessão de lançamento, mas permanece à venda nas lojas FNAC. O livro conta com um prefácio de Jaime Nogueira Pinto, e contém também algumas das fotografias patentes na exposição.