África Monitor

Arquivos AM Intelligence (Desde1985)

Ex-cônsul em Joanesburgo vai representar Portugal junto da CPLP

O Ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal designou Carlos Pereira Marques para representante permanente de Portugal junto da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). A Lusomonitor sabe que o novo representante acompanha Rui Machete a Moçambique na missão de preparação da reunião do Conselho de Ministros da CPLP, que começa amanhã em Maputo.



Esta informação foi adiantada por fonte oficial do Ministério dos Negócios Estrangeiros, em reação à notícia que davam conta da ausência de um embaixador de Portugal Junto à CPLP nas portas da Cimeira da CPLP, na qual será discutida a adesão da Guiné Equatorial.

O LusoMonitor aguarda esclarecimentos do MNE sobre quando  irá apresentar as credenciais ao Secretário Executivo da CPLP o novo embaixador, que é ministro plenipotenciário tal como a sua antecessora, Clara Borja.

 

Promoção em 2012

O diplomata, então cônsul-geral em Joanesburgo, integrou a lista de promoções de 2012, já com Paulo Portas como ministro dos Negócios Estrangeiros. Passou de conselheiro de embaixada a ministro plenipotenciário de 2.ª classe, o posto mínimo exigido para que um diplomata possa chefiar uma embaixada.

No lote de promovidos estava também a sua antecessora, Clara Borja de Freitas, ex-porta-voz da presidência portuguesa da UE em 2007.

A Embaixadora Maria Clara Borja de Freitas apresentou as suas cartas credenciais ao Secretário Executivo da CPLP, Domingos Simões Pereira, no dia 30 de Janeiro de 2012. Alguns meses depois afastou-se, segundo fonte diplomática devido a baixa médica.

Num momento em que o Governo de Portugal anuncia como prioridade estratégica a CPLP e a Ásia, a embaixadora que lidera a missão portuguesa junto da comunidade lusófona esteve afastada do dia-a-dia da organização quase dois anos, com prejuízo para o peso político de Lisboa na organização, em momento de decisões importantes.

Os Estatutos da CPLP preveem que os Estados-membros podem, se assim o entenderem, estabelecer Missões Permanentes junto da Organização, em harmonia com a prática internacional seguida nesta matéria. Portugal abriu uma Missão Permanente junto à CPLP, a 13 Janeiro de 2009, depois do Brasil.

Os maiores países membros da organização estão representados na CPLP com embaixadores – Brasil, Angola, Moçambique e até Timor-Leste.