África Monitor

Acesso Livre

Africa Monitor 1154, 12 Julho - Notas do Editor

Africa Monitor 1154, 12 Julho - Notas do Editor

Que futuro para os muitos negócios de Isabel dos Santos? Este é o tema do artigo principal do Africa Monitor 1154, de 12 de Julho.

Há um ano, ainda antes das eleições, a sua saída da Sonangol era tema das conversas de corredores em Luanda, conforme fomos dando conta. Perante a imagem de grosseiro nepotismo criada com a sua nomeação, pelo pai, para a "vaca leiteira" da economia angolana, que expunha o regime a críticas quase diárias, a própria filha de José Eduardo dos Santos estava ciente da necessidade de dar um passo atrás e de assumir uma postura mais discreta na Sonangol, exercendo influência política para que fosse nomeado um sucessor da sua confiança. Depois das eleições, a sua saída da petrolífera precipitou-se, e o novo presidente da petrolífera, Carlos Saturnino, chegou a ameaçar com uma queixa judicial contra Isabel. Desde então, a tempestade amainou - sem chegar a ser bonança. Mas nova tempestade para Isabel parece estar à vista - desta vez na Unitel e no Banco Fomento Angola. E deve começar já depois da saída de José Eduardo dos Santos da presidência do MPLA, em Setembro.  

No Africa Monitor de hoje temos também um perfil alargado sobre Isabel dos Santos, desde as origens dos seus negócios até às mais recentes tentativas para "dourar" a sua imagem como empreendedora africana "self-made".

Em Maputo, a nomeação do candidato da Frelimo em Maputo - rampa de lançamento para voos mais altos no partido - está acesa, a apenas 3 meses das eleições. Tão acesa, que que expôs fracturas ideológicas no partido, e até já entrou adentro das "casas"de algumas famílias mais influentes do país, conforme damos também conta hoje.

Agitado está também Patrice Trovoada, que observadores atentos das realidades de S. Tomé e Príncipe temem estar a entrar numa perigosa deriva autocrática. A causa é um esfriar de relações com Angola, que já o levou a medidas quase desesperadas para assegurar um encontro com o novo presidente João Lourenço. Na próxima semana terá nova oportunidade, na ilha do Sal, durante a cimeira da CPLP.

Também no Africa Monitor de hoje, novos elementos sobre o acordo de desmilitarização em Moçambique, a acrescentar ao nosso Flash de terça-feira, em que demos conta das tenativas em curso para assegurar um encontro entre o PR Filipe Nyusi e o líder da Renamo. Da República Democrática do Congo, chegam-nos também notícias sobre o iminente regresso de Jean-Pierra Bemba, e do impacto sísmico que o poderá ter no delicado processo político em curso, que deverá culminar com as eleições de Dezembro.