África Monitor

Acesso Livre

Paulo Guilherme

Erik Prince, Lancaster Group e a segurança da bacia do Rovuma - Nota do editor

O Africa Monitor Intelligence tomou conhecimento de um artigo publicado por um site em língua inglesa sobre actualidade económica moçambicana (Zitamar) que não reflecte de forma rigorosa o conteúdo do artigo do AM Intelligence de 16 de Maio "Moçambique: Erik Prince Propõe Hipoteca para Segurança no Rovuma". Diz o referido site, de acordo com reprodução na imprensa moçambicana, que o AM diz que as petrolíferas "têm um acordo com a L6G para a segurança do Rovuma". Tal não corresponde à verdade. O que está expresso no nosso artigo é que a L6G AFIRMA que dispõe dos referidos acordos e tal consta da documentação que consultamos para elaborar a notícia. E neste caso, o verbo "afirmar" faz toda a diferença.

Existe, pois, uma contradição, entre o que a L6G afirma e o que as petrolíferas afirmam, e é este o facto. Aliás, nenhuma fonte consultada no referido artigo nega a existência da proposta, algumas apenas tentam desvalorizar o nosso trabalho.

A nossa investigação revelou sim que foi apresentado ao Governo de Filipe Nyusi um projecto de inteligência e segurança militar desenhado com o pretexto de travar os ataques militares no norte de Moçambique - a Pro6, SA - uma “joint venture” 50/50 entre a ProIndicus, empresa de estatal moçambicana envolvida no caso das dívidas ilegais, e a Lancaster 6 Group - L6G, empresa de segurança dirigida pelo norte-americano Erik Prince.

Damos também conta de detalhes da proposta em relação a valor, financiamento e extensão.

Continuamos atentos ao assunto, a que voltámos com mais pormenores na edição de 14 de Junho. Contamos ter novos desenvolvimentos na edição da próxima semana.

À verdade chega-se pela busca, mas sobertudo pelo rigor
.