África Monitor

Acesso Livre

Deputados europeus querem melhores resultados na cooperação da União Europeia com África

Deputados europeus querem melhores resultados na cooperação da União Europeia com África

 
Os deputados europeus acreditam que a cooperação entre o continente europeu e o africano pode ser grandemente melhorada. De acordo com uma nova sondagem, divulgada no dia em que tem início a V
 CImeira União Europeia-Áfricaapenas 22% dos parlamentares defendem que a cooperação é satisfatória, enquanto 31% considera pouco ou não satisfatória.

Nesse sentido, 55% dos entrevistados acredita que a cooperação entre os dois continentes é melhor providenciada pela União Europeia do que pela cooperação bilateral e existe um desejo real de que se fortaleça a cooperação entre as autoridades locais (81%). 


A pesquisa para identificar o que os deputados europeus acham da cooperação entre a Europa e a África foi feita entre os dias 15 e 21 de novembro pela “Opinions en Région”.

O questionário foi enviado por email a 1565 deputados do Parlamento Europeu e membros da Comissão dos Assuntos Externos dos parlamentos francês, belga, italiano, espanhol, alemão, sueco, húngaro, grego, holandês e polaco. Destes, 421 responderam, através de uma plataforma de administração de questionários.

Ao questionar sobre o sucesso dos objetivos da 4ª Cimeira da União Europeia/União Africana em 2014, sendo 1 insatisfatório e 5 muito satisfatório, os resultados foram os seguintes: boa governança, democracia e direitos humanos teve a média mais baixa, 2,5/5; desenvolvimento de competências e criação de emprego, teve uma média de 3,02/5; investimento em comércio ficou com a média mais alta, 3,32/5, seguido pela luta contra o terrorismo e pela paz e segurança no continente africano, com uma média de 3,27/5.

A média geral ficou em 3,08/5, o que reflete a dificuldade de alcançar os objetivos gerais, que geralmente são muito ambiciosos.

Ainda nesta pesquisa, ficou claro que vários líderes (59%) pensam que seria útil desenvolver um eixo África-Mediterrâneo-Europa para permitir que os países do Norte da África se afastem do modelo promovido pelo islamismo radical. Ainda em termos de política, 75% dos parlamentares acreditam que o envio de observadores europeus no terreno durante as eleições é “útil” ou “muito útil”.