Africa Monitor

Africa Monitor Intelligence

Angola: Governante no Capital de Empresa de Segurança

É frequente que membros do Governo mantenham atividades empresariais paralelas, nas áreas sob sua tutela. Os métodos mais frequentes para dissimular as participações em empresas são a transferência das mesmas para familiares ou dependentes - algo que o próprio JOÃO LOURENÇO fez quando assumiu o mandato de PR (AM 1249) - ou a utilização de acções ao portador.
No caso de SR na G-Force as incongruências no processo de constituição e registo da sociedade resultam, na práctica, de uma despistagem da sua participação na empresa.
Uma sucessão de episódios em que agentes da empresa de segurança violam a lei com impunidade - o mais recente dos quais o envolvendo a moagem disputada por HA, em que se sobrepuseram a elementos da Polícia - deram à G-Force uma reputação que intimida as próprias forças de segurança quando têm de lidar com instalações guardadas pelos seus agentes, e a convicção de que atua com protecção superior - agora ficando clarificado que esta se situa ao nível do Governo. LER MAIS