África Monitor

Acesso Livre

Africa Monitor 1190, Notas do Editor: O Lado B da Luta Anti-Corrupção em Angola

Africa Monitor 1190, Notas do Editor: O Lado B da Luta Anti-Corrupção em Angola

"Chocante e Repugnante".

João Lourenço não poupou nos adjectivos para qualificar o recente relatório sobre a apropriação de capitais e bens do Estado pelas "elites" na fase final do mandato de José Eduardo dos Santos. O momento para anunciar a conclusãodo relatório foi escolhido ao pormenor: a abertura do ano judicial, em Benguela. Na audiência estavam membros do Governo, os principais responsáveis de tribunais, forças de segurança, e mais.

Esta iniciativa, de que vínhamos dando conta desde o final de 2018, poderá resultar uma perturbação ainda maior nas relações entre as hostes de Lourenço e os círculos próximos do ex-presidente. Tensão essa que, como damos conta no AM 1190, chegou ao interior das casernas, com um episódio particularmente grave, que terá levado o Gen. Hélder Vieira Dias "Kopelipa" a uma espécie de exílio forçado. 

A "luta anti-corrupção" de Lourenço - que vai dando os seus frutos, entre elogios da comunidade internacional e novos financiamentos para o desenvolvimento do país, mais recentemente do Banco Mundial - tem um "Lado B", feito não apenas de tensão entre anteriores e actuais elites, mas também de perturbações na vasta economia informal do país. É o caso da "Operação Transparência", com empresas ilegais ou informais encerradas no sector dos diamantes e da mineração, deixando centenas sem trabalho e sem salário. Isto numa altura em que as perspectivas de regresso ao crescimento económico este ano regridem - a Economist Intelligence Unit já prevê uma continuação da recessão em 2019.

Ainda de Angola, na última edição do AM um perfil de Aldemiro Vaz da Conceição - e de atritos que os seus hábitos "do passado" vêm criando na Presidência.

Enquanto em Moçambique aterra ajuda humanitária vinda de todos os cantos do mundo para assistir às vítimas do ciclone Idai e das cheias, a política regressa a todo o vapor, tal como a Justiça, com a constituição de 20 arguidos no caso das "dívidas ocultas". Um deles é Ndambi Guebuza, filho do ex-presidente Armando Guebuza. Nesta edição, retratamos os negócios da família do ex-presidente, que tiveram como "pivots" os seus filhos, sobretudo Mussumbuluco e Valentina (esta já falecida).

De São Tomé e Príncipe, informações sobre como o novo PM, Jorge Bom Jesus, está à beira de uma solução para a cervejeira Rosema, principal empresa industrial do país, depois da sua visita a Luanda. Solução essa que pode deixar intocados os interesses de muitos dos políticos que gravitam em torno da actividade da Rosema.